Diretor de “Girls Like You” conversa sobre o novo clipe do Maroon 5

David Dobkin, diretor do clipe de Girls Like You, concedeu uma entrevista ao Entertainment Weekly onde conversou sobre o novo clipe do Maroon 5, e explicou como ele e Adam Levine surgiram com a idéia de fazer um clipe sobre empoderamento feminino e causas sociais. Acompanhe:

Este é o terceiro vídeo do Maroon 5 que você dirigiu. Como você se envolveu com esse clipe, especificamente?
Adam e eu nos conhecemos desde 2001, 2002. Ele as vezes se aproxima com algumas músicas diferentes e nós conversamos sobre elas. Essa era a minha música favorita do álbum, e eu realmente me envolvi com ela. Quando eu soube que ela seria o terceiro clipe, eu fiquei tipo, eu preciso fazer isso. Eu senti que isso poderia ser totalmente sobre todas as mulheres. Eu fui até ele e disse “Por que você não fica de fora do clipe, e eu faço uma montagem com todas as mulheres incríveis da história? Eu terminaria com todas essas mulheres candidatas ao Congresso,” porque eu tenho muito orgulho do que está acontecendo no universo feminista. [Levine] disse “Eu vejo o que você está tentando fazer, mas eu acho que seria melhor se todas as mulheres estivessem na gravação. Por que a gente simplesmente não coloca todas as mulheres diferentes cantando a música?” Eu falei, “E se eu girar ao seu redor, e toda vez que girar, aparece uma mulher diferente? E Adam disse, “Sim, vamos fazer isso. Nós deveríamos chamar a Ellen primeiro. Ellen vai entender, e ela vai adorar.”

Quanto tempo demorou a gravação?
Demorou quase cinco meses para terminar a gravação. Foi tudo gravado em Los Angeles. A gente não podia mover o equipamento. Foi a maior gravação circular já feita, de acordo com as pessoas envolvidas na gravação. Uma vez que eu entrei nos aspectos técnicos da gravação para ver o que eu estava propondo, que era um grande um grande take-único com todi mundo, Levine percebeu rapidamente que ele seria cada vez maior, maior, maior. E eu pensei “Isso não vai levar só mais um dia. Vão levar alguns dias.” E os dois dias se tornaram três, que se tornaram quatro meses, e eventualmente gravamos por cinco dias porque Gal Gadot queria participar.”

Então chega o primeiro dia de gravações…
J.Lo foi a primeira a chegar, e ela arrasou. Ela é mágica. Ellen veio no primeiro dia de filmagens. Ela foi a primeira pessoa a se inscrever e apoiar o projeto. E ela estava maravilhosa. Ela entendeu que as outras mulheres seriam inseridas com efeitos visuais. Foi muito divertido quando ela finalmente começou a procurar de onde essas mulheres todas estavam vindo, o que eu não falei pra ela fazer. Ela entendeu como artista – ela pensou, “Ah sim, todas essas mulheres estão chegando e indo? Eu vou procurar por todas elas.”

Como você decidiu quais mulheres iriam participar?
Depois de Ellen, nós escrevemos cartas pessoas para cada uma dessas pessoas, e nós muito cuidadosamente selecionamos o grupo… Essa seria uma lista de pessoas que nos inspiram, quem aceitaria e quem realmente poderia estar lá. Eu usei a palavra “selecionados” no sentido de que ter uma lista de pessoas e quem estaria disponível e querendo representar diferentes raças e religiões e crenças e orientações. Adam… escreveu as cartas. Algumas pessoas ele telefonou. Eu sei que ele ligou diretamente para Tiffany Haddish. E foi divertido porque algumas vezes as meninas chegavam e os empresários delas ficavam tipo “Peraí, o que está acontecendo?” Cardi viajou e gravou o clipe sem ninguém aprovar. Ela foi incrível.

Uma coisa que eu amo é que os caras estão em roupas comuns e praticamente se misturam com o fundo, mas as mulheres estão usando roupas claras, coloridas ou roupas com mensagens específicas. Foi de propósito? Absolutamente – incluindo Adam usando uma camisa preta. Foi como se nós estivéssemos feito tudo para ter ele e a música ali, mas sem o menor destaque. Deixamos todo mundo escolher o que queriam vestir. A idéia era meio que talvez você não conhecesse algumas pessoas, mas faria as pessoas se perguntarem “Oh, quem é essa garota e o que é isso na camiseta dela? O que isso significa? Que movimento é esse?”

Teve alguém que você não conseguiu gravar?
O único arrependimento que eu tive foi a Helen Mirren. Ela ia participar, mas a gente não conseguiu conciliar a agenda. Em um determinado momento eu olhei para Adam e ele estava tipo, “Nós precisamos encerrar.” … Sério, a gente pensou, “Vamos para a Inglaterra e convidar a Adele,” e a gente tentou conseguir Michelle Obama, e eu estava tipo “Você sabe que eu vou extender o último refrão pra caber todo mundo!”
Mas nem todo projeto consegue dar conta disso. Videoclipes são especiais porque você está pegando uma música e atribuindo algo visual a ela, e se você fizer bem feito, você está atribuindo ela algo tão grande e além do que é a intenção da música. E com certeza esse foi um desses casos.

Comentários